quarta-feira, 4 de abril de 2012

Projeto de Leitura


Estimulando a Leitura na Educação Infantil










Atividades de leitura e escrita na educação infantil


Só se aprende ler, lendo e só se aprende escrever, escrevendo. Na atividade da escrita, a criança escreve do jeito que ela sabe e o professor faz intervenções necessárias em relação à escrita do aluno. Essas atividades têm o objetivo de avançar na reflexão da Língua, aprender a letra a ser usada, e quantas letras usar, escrever textos com sentido, revisar ortografia e gramática. Pode ser desenvolvida com crianças entre 5 e 6 anos.



Atividade 1: leitura e escrita de Nomes próprios, pois este é um modelo estável de escrita.




Sugestão:

§ Jogos: bingo, dominó, caça-nomes, forca e lacunas com nomes;

§ Montar nomes com alfabeto móvel;

§ Lista com nome dos alunos para a chamada, deve ser lida diariamente: cada criança tem o nome escrito num pedaço de papel cartão (azul para os meninos e rosa para as meninas), primeiro a professora mostra a cor do cartão, depois mostra o nome para a turma, quando esse nome é identificado, a criança chamada pega o papel e coloca num espaço reservado para a chamada;

§ Classificar o nome dos alunos de acordo com: número de letras, de sílabas;

§ Identificar letras do próprio nome em embalagens e rótulos.



Atividade 2: leitura e escrita de listas – as listas são as primeiras formas expositivas de texto. O trabalho com listas favorece a aquisição da base alfabética, possibilita a reflexão entre as hipóteses de escrita do aluno e a escrita convencional das palavras, promovendo o conflito cognitivo.




Sugestão:

§ Listar as palavras dos textos trabalhados, classificando-os de acordo com: a primeira e última letra, numero de letras e de sílabas, vogais e consoantes.

§ Lista de nomes de animais, frutas, verdura, cores, plantas, brinquedos, etc.

§ Lista de nomes dos alunos da classe, dos professores ou dos funcionários da escola;



Atividade 3: leitura e escrita de trava-língua, parlenda, quadrinha, poema e canção de roda – esses são textos da cultura oral apropriados para trabalhar a aquisição da base alfabética e ortográfica. Por serem de fácil memorização, geram atividades que favorecem a percepção de que é preciso corresponder o falado ao escrito, além de brincar com o som, s forma ortográfica e o significado das palavras.




Sugestão: circular palavras repetida, as rimas, os sinais de pontuação, copiar palavras inteiras, pintar os espaços entre as palavras, contar o numero de letras ou palavras de uma frase, completar letras ou sílabas que faltam de algumas palavras do texto, classificar as palavras pelo som ou letra inicial.

me dos alunos de acordo com: n, deve ser lida diariamente.














Algumas sugestões para estimular a leitura













1. O cantinho da leitura, que é extremamente importante nas classes educação infantil e ensino fundamental.









2. A construção de uma biblioteca ou mini-biblioteca pelos alunos, que pode dinamizar bastante o trabalho, uma vez que eles serão sujeitos ativos neste empreendimento, e seria interessante que juntos, alunos e professores, trabalhassem no processo de catalogação, arrumação dos livros. É importante ter diversos tipos de textos (jornalísticos, crônicas, científicos, bulas, publicitários, parlendas, adivinhas, cantigas, trava-línguas etc), assim como diferentes fontes (livros, revistas, jornais, periódicos, gibis etc). Uma sugestão bastante interessante é que os livros fiquem ao alcance das crianças, assim elas poderão interagir melhor com eles.









3. Sugerir que os alunos falem sobre o livro que leram ou escrevam a respeito dele são boas atividades, mesmo os alunos da educação infantil podem fazer isto, por meio de recontagem, leitura plástica (desenhar, pintar, esculpir), pseudo-leituras, entre tantas outras.









4. Colocar em prática projetos como: pequeno escritor, onde os alunos podem construir seu próprio livro com suas próprias produções, organizar uma tarde de autógrafos ou receber a visita de um autor de uma obra trabalhada em sala de aula.






5. Produzir um jornal mural ou jornal impresso da própria escola, que é uma excelente orientação didática de socializar as produções na linguagem escrita.

















Condições de um bom trabalho de leitura em creche






Critérios de seleção



1. Qualidade do textoO texto deve apresentar um bom trabalho de linguagem, coesão interna e organicidade, evite obras, cujo caráter utilitário que enfatize visões diretiva e inquestionável de mundo e de moral.





2. Diversidade:Procure diversificar os temas e linguagens (prosa, poesia, Cartum, livro sem texto, crônicas, conto de fadas).A oferta de obras com características bem diversas abre possibilidade de uma maior identificação do leitor com os livros, atendendo as diferenças individuais.


3. Adequação das obras á faixa etária:

Fique atenta ao tratamento gráfico dado a obra (encadernação, tamanho do livro, tipo de letra), a temática e a extensão da narrativa. Com relação á extensão das narrativas, é importante salientar que os livros com texto podem ser breves ou relativamente longos, porém, desde que sempre acessível à criança que ainda não teve oportunidade de maior contato com materiais escritos. A simplicidade de um texto, no entanto, não deve desvirtuar-lhe sempre acessível à criança que ainda não teve oportunidade de maior contato com materiais escritos. A simplicidade de um texto, no entanto, não deve desvirtuar-lhe a natureza, transformando-o em uma sucessão de frases soltas e sem significados, tal qual uma cartilha.



4. Ilustração:

Nesta faixa etária as gravuras é que irão, de inicio, exercer maior atração sobre a criança.



5. Regularidade

É interessante garantir na rotina um momento para leitura ou narração de histórias;



6. Organização do espaço









Cinco idéias para brincar com um livro

O JOGO DAS VOZES

Qualquer conto por pequeno que seja, pode transformar-se num jogo de vozes e ruídos. As mudanças de tons, encantam aos pequenos: as vozes agudas, as graves, as que imitam as crianças, a uma bruxa, os sons da água, do vento, dos animais... Assim aprendem a identificar aos distintos personagens: os bons, os maus, os mais jovens ou os mais velhinhos. O certo é que qualquer elemento criativo captará sua atenção!

Nota: Para crianças de 0 a 8 anos.

DESENHE A ESTÓRIA

Só são necessários lápis de cores, cartolinas e um narrador. O jogo consiste em que as crianças representem as distintas sequências do conto: o começo, meio e o fim. Podem fazer quantos desenhos quiserem. O importante é deixar sua criatividade livre. Além disso, observando seus desenhos pode-se aprender centenas de coisas: o que mais as chamam a atenção será o maior, e o que menos gostam o omitirão ou serão muito pequenos...Os encantarão ter suas próprias ilustrações dos contos!

Nota: Para crianças de 3 a 8 anos. A partir dos 6 anos também se pode propor que escrevam pequenos textos no rodapé dos desenhos, assim fabricarão seus próprios contos.

FAZENDO TEATRO

É hora de tirar do baú: um guarda-chuva, umas luvas, colares de plástico, cintos ou um colete. Qualquer roupa antiga será o perfeito disfarce. Também ajudará um set de maquilage infantil para caracterizar uns bigodes, uma cicatriz ou para "envelhecer" o semblante. Representarão o seu conto favorito!

Nota: Para crianças de 5 a 8 anos. A partir dos 7 anos também pode-se propor que escrevam um pequeno roteiro para adaptar a história do livro.

O SUPER DETETIVE

Se o que se quer é desenvolver sua atenção, só tem que sugerir a eles que sejam um "super detetive". O jogo consiste em buscar pistas secretas: podem ser cores, palavras que comecem por A, ou B, palavras no plural, no masculino, no feminino, palavras que escrevam com H. Pode estabelecer um limite de tempo ou de palavras e no final pensar em uma grande recompensa...Que tal sua sobremesa favorita? É fantástico para a ortografia, o vocabulário e a linguagem!

Nota: Para crianças de 7 a 12 anos. Cada detetive tem que ter seu próprio livro de detetive e uma caneta para poder anotar todas as pistas. Se muitas crianças participam, cada um pode utilizar uma caneta de cor diferente.

INVENTANDO OUTRO FINAL

Com certeza deve haver algum livro com um final pouco divertido, assim que a solução é combinar com toda a família um final perfeito. Cada um apresenta sua idéia e entre toda a família se decide que "pedaço da história" é o melhor. É uma forma de conversar sobre um livro: os personagens, o contexto, as diferentes situações, etc. O jogo pode se complicar em função da idade dos participantes.

Nota: Para crianças de 5 anos em diante. Este jogo não tem idade e com certeza existem centenas de finais para serem modificados.







Fontes: http://brincandocomletrastaelp.blogspot.com ,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário